Ingênua

Acredito que exista, há décadas, um certo comportamento de mídia impregnado, doentio, que joga um contra o outro, quando a verdadeira forma de evoluir é
através do trabalho em grupo. Ninguém avança ou consegue trabalhar com qualidade individualmente, as pessoas estão conectadas umas com as outras.
Mas, além disso, existiria algum interesse obscuro em diminuir as mulheres, em desdenhar seus anseios e necessidades? Seria um discurso direitista? Essa merda está aí desde sempre, esse cinismo maquiavélico, pontualíssimo, mesmo que eu finja ignorar.
Foi um dos motivos de eu já ter pirado e resolvido frequentar o psiquiatra, a pressão, a tortura psicológica, invisível. A sensação de impotência que insinua que nós somos apenas filhas ou esposas, sem juízo e sem razão.
Simplesmente adquiri uma consciência maior desse menosprezo por nossas decisões, avanços, méritos, idoneidade, no último ano da faculdade, mas essa nhaca sempre atravessou a minha vida,

de uma ou outra forma.

Talvez se eu tivesse um pai vivo ou um pai influente, ou uma vida de beata, as coisas acontecessem de maneira diferente. Em tons pastéis. Sinal que incomodo, isso é ótimo, não vim ao mundo para ser gado, massa de manobra, manipulável, ingênua.
O contraponto é ter a sorte de encontrar amigos que não perpetuam esse desprezo,  essa máquina diluída de calar as mulheres.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s