galinheiro

Saudade de quando eu era criança em geral. Principalmente, saudade de quando eu era criança bem pequena e me levavam junto com um bando de primos para Salesópolis, na chácara do tio. Era um lugar simples, com uma porteira velha de madeira escurecida pela umidade, matos variados ao redor na encosta de uma montanha. A casa dava fundos para o galinheiro, era sair da cozinha pela porta e a grade em pequenos alveólos hexagonais começava emendada na parede da casa principal. Construíram uma muretinha de uns trinta centímetros, branca, de tijolos, rebocada, dando base para o arame que seguia uns cinco metros adiante e desenhava o quadrado. Minha diversão matinal era entrar lá dentro, travar a porta no gancho e imagine só! correr espantando as galinhas. De um lado para o outro, em círculos, elas voavam baixo e caíam, caramela, branca encardida, preta e branca. Nem carrinho de bate-bate poderia ser melhor. Havia também um pomar com mexericas e abóboras. =)

é isso, eu brincava de assustar galinhas. mas só nos feriados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s