DREAMTIGERS

Na infância exerci com fervor a adoração do tigre: não o tigre cor-de-pêssego dos camalotes do Paraná e da confusão amazônica, mas o tigre rajado, asiático, real, que só podem enfrentar os homens de guerra, encastelados sobre um elefante. Eu costumava demorar-me infindavelmente diante de uma das jaulas do Zoológico; apreciava as vastas enciclopédias e os livros de História Natural, p…elo esplendor de seus tigres. (Lembro-me ainda dessas figuras: eu que não posso recordar sem engano o rosto ou o sorriso de uma mulher.) A infância passou, caducaram os tigres e a sua paixão, mas eles continuam ainda em meus sonhos. Nessa tela submersa ou caótica continuam prevalecendo, e assim: Adormecido distrai-me um sonho qualquer e de súbito sei que é um sonho. Costumo então pensar, este é um sonho, uma pura diversão de minha vontade, e já que tenho um poder ilimitado, vou produzir um tigre.
Jorge Luis Borges do livro “O Fazedor”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s